Gold Clock

segunda-feira, 30 de abril de 2012

MURIÚ




                                                                        Letra e Música    de  Jadson Queiroz





                           -  MURIÚ  - 


                                                           JADSON QUEIROZ




BATEU NO MEU CORAÇÃO
UMA SAUDADE DANADA
DESTA PRAIA TÃO QUERIDA
MURIÚ,   MURIÚ, ÉS A PRINCESINHA 
DOS MEUS SONHOS ETERNAMENTE.
GUARDO LEMBRANÇAS  GOSTOSAS
DESSA PRAIA TÃO QUERIDA
MURIÚ, MURIÚ ÉS  TÚ,
O GRANDE AMOR 
DA MINHA VIDA.
NAS NOITES FRIAS E DE LUAR
OLHANDO A LUA BEIJANDO  O MAR,
O MAR BEIJANDO A AREIA...
EU ESTAVA LÁ, VENDO ESSE MOMENTO
DE GRANDE E RARA BELEZA.
OS TEUS COQUEIRAIS TREMULANDO,
SOB A LUZ DAS ESTRELAS
TRAZENDO LEMBRANÇAS AMAVÉIS
DO MEU PRIMEIRO AMOR. 
NÃO VOU TE ESQUECER, MURIÚ...
POIS VERDADEIRAMENTE,
ÉS A MINHA  GRANDE PAIXÃO.
MURIÚ, VIVERÁS PARA SEMPRE,
EM TODA A MINHA VIDA.
MURIÚ, MURIÚ...MURIÚ...
PRAIA QUE JAMAIS,
ESQUECEREI


quarta-feira, 25 de abril de 2012

SONHO


                                     POESIA      DE   JADSON      QUEIROZ



-- SONHO -

Jadson Queiroz

SONHEI QUE TINHA UM CANTINHO
E COM VOCÊ IA NELE MORAR
VIVÍAMOS COM MUITO CARINHO
E O TEU CORAÇÃO EU IA CONQUISTAR.

ERA UM SÍTIO BEM PEQUENO
COM FRUTEIRAS NO QUINTAL
UM RIO A CORRER, CALMO E SERENO,
ERA UMA VIDA TRANQUILA E LEGAL.

AO ACORDAR BEM CEDINHO
OUVIA O CANTO DO PARDAL
E A VACA A MUGIR NO CURRAL,
E NÓS, TOMANDO DO SEU LEITE QUENTINHO.

O BANHO NO RIO E A PESCARIA,
O PEIXE FRESCO, FRITADO E COSIDO,
A DOSE DE CACHAÇA, O CAJU E O PIRÃO, SERIA,
A REALIZAÇÃO DAQUELE DIA TÃO QUERIDO.

COM A VIOLA EU CANTAVA
UMA CANÇÃO DE NINAR,
E VOCÊ ME OLHAVA E ESCUTAVA,
ESPERANDO A NOITE CHEGAR.

QUANDO ESCURECIA, ACENDIA A FOGUEIRA
PARA O FRIO ESPANTAR.
FICAVAS FELIZ E FAGUEIRA
E NOS MEUS BRAÇOS, VINHAS SE ACONCHEGAR.

ERA ASSIM QUE EU QUERIA
A MINHA VIDA LEVAR,
PORÉM, ACABOU A ALEGRIA,
FOI UM SONHO, TIVE QUE ME CONTENTAR.

O CAMPO DO HOMEM DO CAMPO



       
                                POESIA     DE      MARENICE      FERREIRA




O CAMPO DO HOMEM DO CAMPO.

MÃOS NA CABELA EM SILENCIO.
OLHAR PERDIDO NO HORIZONTE.
EM QUE PENSA?
SE HÁ TANTOS CAMPOS A DESBRAVAR

A FUMAÇA DO CACHIMBO.
TRAZ LEMBRANÇAS DOCES E AMARGAS,
DE TUDO QUE JÁ PASSOU NA VIDA.
UMA  MELANCOLIA POUSA NO PEITO
ARDENDO DE DESEJO DE NO CAMPO REPOUSAR.

O HOMEM DO CAMPPO É DO CAMPO.
CAMPO DA MORTE.
CAMPO DA SORTE.
CAMPO DO NORTE.
CAMPO DA LUTA.

PENSA NO QUE É...
E NO QUE PODERIA TER SIDO.
SE NÃO  DESBRAVASSE TANTOS CAMPOS.


PENSA E PENSA... NA FAMILIA,
E NOS SONHOS QUE TEVE   QUE ABORTAR.
NO SEU EU. PERDIDO NO ESPAÇO E NA POEIRA.
PROCURANDO UM AMANHÃ , QUE TALVEZ NEM VIRÁ.

O TEMPO PASSOU,
NEM SE DEU CONTA.
FOI JUNTO NA FUMAÇA DO CACHIMBO.

HOMEM DO CAMPO.
CAMPO TRISTE HOMEM A PENSAR.
CAMPO ARIDO HOMEM A REZAR.
CAMPO DO NADA HOMEM A LAMENTAR.
CAMPO DA SORTE HOMEM A APOSTAR.
CAMPO FLORIDO DE MORTE HOMEM A CHORAR.

                         MARENICE FERREIRA DE MELO

segunda-feira, 23 de abril de 2012

SERTÃO DISTANTE


                              

                                     POESIA DE MANOEL CAVALCANTI  DE  QUEIROZ


OH, QUE SERTÃO TÃO DISTANTE
OH, TERRA ONDE NASCÍ
TENHO SAUDADES  CONSTANTES
DAS ÁGUAS QUE ALÍ BEBÍ
TENHO LEMBRANÇAS DAS TERRAS
DAS ÁRVORES E DAQUELES RIOS,
DAS PEDRAS QUE DEIXEI  NAS SERRAS,
DOS CAMPOS E TAMBÉM  DO FRIO.
OH, QUE SERTÃO TÃO LONGE 
DE CALMA E TANTO AMOR
MEU CORAÇÃO PULA,
CANTA E SOFRE DOR.
DE TÍ, JAMAIS ME ESQUEÇO
OH, MEU SERTÃO TÃO QUERIDO
DAS FLORES QUE NÃO MEREÇO,
DO TEU SOLO RECEBIDO. 








Obs:  O Poeta Manoel C. de Queiroz, é avô do saudoso Poeta Walflan de Queiros,  do Poeta Jadson Queiroz e Bisavô do Prof. Gibson Machado e  do Poeta  e Blogueiro, Fernando Caldas.
                                                      

domingo, 22 de abril de 2012

MARENICE FERREIRA - UMA POETISA CEARAMIRINENSE.

                                                          MARENICE      FERREIRA

                      
                  LONGE MUITO LONGE

TENHO OS OLHOS MUITO LONGE
UM AMARGO NA BOCA
NO PEITO UMA DOR INFINDA
E UM AMOR MUITO LOUCO.

UM ESPAÇO VAZIO
VAGUEIA MEU CORAÇÃO
UMA LAGRIMA DE PENA
DE UM AMOR DESTRUIDO.

UMA MULTIDÃO DE GENTE
PASSAM NO MEU CAMINHO
OUÇO SOM DE VOZES
E ME CALO...

SEM TEMPO

NESTA VIDA AGITADA
FICO CANSADA
E PARTO EM DUAS MINHA POBRE ALMA.

MARENICE FERREIRA DE MELO