Gold Clock

quarta-feira, 25 de abril de 2012

O CAMPO DO HOMEM DO CAMPO



       
                                POESIA     DE      MARENICE      FERREIRA




O CAMPO DO HOMEM DO CAMPO.

MÃOS NA CABELA EM SILENCIO.
OLHAR PERDIDO NO HORIZONTE.
EM QUE PENSA?
SE HÁ TANTOS CAMPOS A DESBRAVAR

A FUMAÇA DO CACHIMBO.
TRAZ LEMBRANÇAS DOCES E AMARGAS,
DE TUDO QUE JÁ PASSOU NA VIDA.
UMA  MELANCOLIA POUSA NO PEITO
ARDENDO DE DESEJO DE NO CAMPO REPOUSAR.

O HOMEM DO CAMPPO É DO CAMPO.
CAMPO DA MORTE.
CAMPO DA SORTE.
CAMPO DO NORTE.
CAMPO DA LUTA.

PENSA NO QUE É...
E NO QUE PODERIA TER SIDO.
SE NÃO  DESBRAVASSE TANTOS CAMPOS.


PENSA E PENSA... NA FAMILIA,
E NOS SONHOS QUE TEVE   QUE ABORTAR.
NO SEU EU. PERDIDO NO ESPAÇO E NA POEIRA.
PROCURANDO UM AMANHÃ , QUE TALVEZ NEM VIRÁ.

O TEMPO PASSOU,
NEM SE DEU CONTA.
FOI JUNTO NA FUMAÇA DO CACHIMBO.

HOMEM DO CAMPO.
CAMPO TRISTE HOMEM A PENSAR.
CAMPO ARIDO HOMEM A REZAR.
CAMPO DO NADA HOMEM A LAMENTAR.
CAMPO DA SORTE HOMEM A APOSTAR.
CAMPO FLORIDO DE MORTE HOMEM A CHORAR.

                         MARENICE FERREIRA DE MELO

Nenhum comentário:

Postar um comentário